quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Wescley Braga faz pintura com mais de 18 metros na Policlínica de Sobral-CE

A Pureza do Corpo - Wescley Braga
Fachada da Policlínica de Sobral-CE
















       
A humanização nas práticas de saúde é uma tarefa desafiadora pois corresponde à produção de novas atitudes. A Política Nacional de Humanização, proposta pelo Ministério da Saúde propõe metodologias, formas de trabalho que conduzam à humanização sobretudo por que devemos considerar nesta construção, questões éticas, morais, solidárias, co-partícipes, acolhedoras e  de responsabilidade social. Nesse instinto real e concreto, a valorização da arte nos espaços de construção de práticas de saúde é um caminho que potencialmente leva ao bem estar.
Com o objetivo de humanizar o espaço institucional da Policlínica Bernardo Félix da Silva, situada em  Sobral-CE, o artista plástico e poeta Wescley Braga criou uma pintura que possui mais de 18 metros de comprimento.  Intitulada “A Pureza do Corpo”, a obra mostra a visão do artista de como o homem busca a saúde do próprio corpo. A pintura começou a ser feita no dia 12 de janeiro e só foi finalizada quatro dias depois.
Tratando a parede como se fosse uma tela gigante, o artista sobralense deu vida à obra com suas cores expressivas, além de criar uma poesia para a obra. Saindo da realidade, a pintura emerge para o campo sensível do surrealismo, deixando os expectadores inundados de sensações que vão para além deles mesmos. "É preciso lembrar que as pessoas são possuidoras de sentimentos e que não basta apenas remédios para curar. Um sorriso e um olhar cuidadoso é mais necessário para cuidar da alma", expressa Wescley.
"Enquanto equipe de saúde comprometida com os princípios do SUS, e mais especificamente valorizando o acolhimento como prática de humanização dos nossos serviços, dedicamos ao povo da Região de Saúde, a arte como expressão dos sentimentos de cuidado e responsabilidade sanitária na oferta de serviços especializados para uma atenção integral", ressalta Andréa Silveira de A. Linhares, Diretora da Policlínica Bernardo Félix da Silva.

A Pureza do Corpo

O chão me corrói a carne sofredora
Uma ventania puxa-me as pernas trêmulas
Então dei-me uma mão coletora
E me cure sem pílulas

Leve-me onde me acolham com um suave sorriso
Que as portas possam me olhar
Com um ar cuidadoso
E me dá forças para aguentar

Um caminho que se constrói da busca
Uma busca imaterial
Que aos ossos ofusca
Num sopro penal

Traz-me o espelho maternal
A saúde de um embrionário
A comunhão do bem com o carnal
E me torna pureza sem fim do necessário
                                  
Wescley Braga
Artista Plástico e Poeta
16 de janeiro de 2013